DiversidArte

O programa DiversidArte da Secretaria de Estado da Cultura tem o objetivo de incentivar e promover ações afirmativas que sejam inclusivas e contribuam para o fim de todo tipo de discriminação. Ao reconhecer e valorizar os grupos de culturas populares, imigrantes e aqueles historicamente discriminados, como a população negra, povos de terreiro, ciganos, indígenas, quilombolas, faxinalenses, LGBTs, movimentos de rua e idosos, defendemos suas identidades e saberes, garantindo o fortalecimento e a inserção destes grupos nas políticas públicas culturais, viabilizando a criação, a produção, a difusão e a fruição cultural.

Resultado da participação da SEEC em diferentes conselhos de proteção e defesa de direitos, o programa atende às metas do Plano Estadual de Cultura do Paraná (PEC-PR). As ações que integram o DiversidArte vão desde exposições itinerantes, que enaltecem a cultura paranaense, a projetos que contribuem com a acessibilidade de portadores de deficiência.

CONSCIENTIZAÇÃO


Mês da Mulher
A necessidade de dar mais espaço e voz às mulheres paranaenses fomentou a criação do Mês da Mulher em março. A ideia é promover reflexões a respeito do papel da mulher na sociedade, apresentar sua força e seu trabalho na área cultural, exaltar suas obras e conquistas. Por meio das mais diferentes atividades culturais, o objetivo é o reconhecimento das mulheres.
• As mulheres em Regina Vogue - Em homenagem a uma das mais importantes atrizes do teatro paranaense, a artista Regina Vogue, a exposição também representa a força da mulher contemporânea, com sua jornada dividida entre a carreira e a família. Na mostra, que foi concebida para ser itinerante, painéis com fotos apresentam a vida da artista, e um vídeo mostra depoimentos de personalidades do cenário artístico paranaense.
• Grupos de Trabalho - O Museu Paranaense conduz os grupos de trabalho “Modos de Vestir” e “Cultura Material e Gênero: a História das Mulheres no Museu Paranaense”. Ambos têm o objetivo de dialogar sobre memória, cultura material, gênero e história das mulheres.

Mês do Índio
Como forma de celebrar e valorizar a cultura indígena, o Museu Paranaense celebra o Mês do Índio com uma série de atividades. Desde 2016 o MP recebe o povo Fulni-ô, do interior de Pernambuco, e auxilia na difusão da cultura desta tribo, promovendo encontros com estudantes de escolas públicas de Curitiba. Além de apresentações e vivências com os indígenas, o público tem a oportunidade de conhecer seu artesanato, composto por objetos e adornos. Desde sua fundação, em 1876, o museu vem reunindo um importante acervo etnográfico e imagético representativo de diversos povos indígenas do Brasil e da América do Sul. E, periodicamente, realiza exposições relacionadas à cultura indígena.

Mês da Consciência Negra
Novembro é o mês para celebrar os povos afrodescendentes do Paraná e, acima de tudo, propor debates que despertem a reflexão sobre a população negra no Estado. Seminários, mesas-redondas, palestras, workshops, campanhas institucionais, exposições e apresentações culturais são ações realizadas que promovem a conscientização.
• Negros no Paraná – Aspectos da cultura negra no Estado - A exposição é resultado de uma pesquisa de campo em 38 comunidades negras remanescentes dos quilombos no Paraná. Nas imagens, captadas pela fotógrafa documentarista Fernanda Castro, são apresentados elementos da vida cotidiana dessas comunidades, enfatizando a vida familiar, o trabalho e a devoção religiosa. Organizada pela SEEC e Museu Paranaense para ser itinerante, a mostra deve percorrer diversas cidades do Paraná.
• Culturas Negras no Paraná - O grupo de trabalho debate com universidades, estudantes, movimentos negros e interessados em geral as mudanças no circuito de longa duração do Museu Paranaense, com o objetivo de promover a visibilidade e o empoderamento dos povos negros no processo histórico da formação do Paraná.

ACESSIBILIDADE


MON para todos
O programa desenvolvido com o patrocínio do Programa CAIXA de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro é destinado a pessoas com cegueira ou baixa-visão. A partir das indicações do piso podotátil e das descrições do audioguia, o visitante é convidado a descobrir a arquitetura do MON e a conhecer de forma detalhada as obras expostas no Pátio das Esculturas. As esculturas de grandes dimensões são apresentadas em miniatura na galeria de réplicas táteis para permitir a sua exploração completa. O programa inclui ainda a realização de oficinas artísticas para grupos de pessoas com deficiências visuais.

Libras
Como forma de aprimorar o atendimento e as mediações realizadas, o Museu Paranaense está desenvolvendo uma capacitação em libras para os funcionários e colaboradores. Esta ação também servirá para implementar a linguagem ao audioguia já disponível no site do museu, ampliando a acessibilidade do museu.

Seção Braille da BPP
Em atividade desde 1974, a Seção Braille da Biblioteca Pública do Paraná é referência no atendimento a pessoas com deficiência visual no Brasil. É um espaço aberto à prestação de serviços culturais e educacionais que visam o desenvolvimento e a formação das pessoas com deficiência visual. A Seção presta atendimento e orientação aos usuários no acesso à informação e à leitura por meio de dispositivos especializados, como o livro falado, o livro digitalizado e o livro em Sistema Braille.

VALORIZAÇÃO


Arte para maiores
São atividades desenvolvidas para pessoas com mais de 60 anos e inclui a realização de minicursos de sensibilização para a arte, mediações, oficinas artísticas e atividades de criatividade. São dois encontros mensais, na primeira e terceira terça-feira de cada mês, das 14h às 17h, além de sessões agendadas por grupos da terceira-idade de universidades e demais instituições de atendimento a idosos. Realizado desde 2014, o programa recebeu o Prêmio de Modernização de Museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Sessão Sabedoria
Promovida pelo Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) com apoio do Conselho Estadual dos Direitos do Idoso (CEDI) desde 2013, a Sessão Sabedoria é uma exibição comentada de filmes que tem como objetivo estimular intelectualmente a terceira idade e abrir um canal para a expressão de suas ideias. Os filmes são exibidos na última sexta-feira do mês, às 15h, no auditório Brasílio Itiberê (anexo à Secretaria de Estado da Cultura), em Curitiba.

INCLUSÃO


Capacitação
A equipe do Museu Paranaense realiza assessoria e orientação técnica de capacitação profissional. Em 2016, por exemplo, o museu realizou uma oficina de conservação preventiva de acervo para as detentas do Complexo Penitenciário Piraquara.

Agendamentos especiais
O Museu Alfredo Andersen, o Museu de Arte Contemporânea do Paraná, o Museu Oscar Niemeyer e o Museu Paranaense promovem visitas mediadas a grupos em situação de vulnerabilidade social, pessoas com deficiência, dependentes químicos, idosos acolhidos em instituições de assistência, além de outros grupos atendidos pela Fundação de Ação Social (FAS) e demais instituições de apoio social de Curitiba e Região Metropolitana.

Aproximação da arte
Os alunos que frequentam os programas da rede pública de Educação de Jovens e Adultos (EJA e CEEBJA) no período noturno são recebidos no Museu Oscar Niemeyer na primeira quinta-feira de cada mês, quando o museu permanece aberto até as 20h. Os grupos participam de visitas mediadas que têm como principal objetivo aproximá-los do universo artístico, estimulando a compreensão da arte como forma de expressão, de resgate de memórias e de relação com o outro.

Teatro Guaíra para Todos
O Balé Teatro Guaíra, a Escola de Dança Teatro Guaíra e a Orquestra Sinfônica do Paraná realizam constantemente apresentações dedicadas a grupos especiais, levando a dança e a música clássica para públicos com pouco ou nenhum acesso a essa programação.


VISIBILIDADE


Incluídos – O Universo Fantástico da Solidariedade
Organizada pelo Instituto Pró-Cidadania em parceria com a SEEC, Centro Cultural Teatro Guaíra e Banco do Brasil, a exposição com fotografias de Peter Lorenzo tem como objetivo empoderar as pessoas por meio de um universo fantástico. Os modelos são usuários atendidos em diferentes serviços da assistência social de Curitiba, como asilos, casas de acolhimento, projetos sociais e unidades de atendimento à população em situação de rua, que nas imagens da mostra surgem como reis, mágicos, guerreiros, viajantes, sonhadores e divas. A mostra itinerante percorrerá várias cidades do Estado.
Recomendar esta página via e-mail: